terça-feira, 12 de junho de 2012

Boletim Maio

Amigos,

antes de começar este boletim, eu gostaria de esclarecer que é impossível não se sensibilizar com a miséria humana em que vivem os índios, dignos de um projeto de auxílio urgente. Primeiro, porque são os indígenas que cuidam (como podem) de todos os animais que são abandonados na aldeia, são eles que dão alimento (seja a ração que levamos (quando tem) seja dividindo a própria comida). São eles que dividem o teto, a cama, o cobertor com estes animais. Segundo, porque são eles que fazem a tarefa mais difícil, cuidar de todos os animais que lá vivem (e não são poucos), mesmo com todas as dificuldades que enfrentam. Terceiro, porque eles são “gente que precisam da nossa ajuda”.

É preciso entender que eles são “índios”, impedidos de viver da caça e da pesca, que eles perderam e perdem cada vez mais suas terras, sua identidade e cultura. E que acima de tudo, são seres humanos que, estão ali, não para serem julgados e sim ajudados.

Fica aqui o convite para se estender aos índios um plano de ação de socorro nas suas necessidades mais prementes.

Visita: sábado dia 02/06

O sábado começou com muito trabalho na aldeia. Pela primeira vez foi possível levar a quantidade de ração suficiente para alimentar os animais por 30 dias. E não foi só isso, a campanha do cobertor permitiu que levássemos casinhas e cobertores para os animais, e para os índios também. Não foi suficiente, mas ficamos contente com o resultado. Roupas e brinquedos também foram arrecadados e foi a maior festa entre as crianças!

Chegada na aldeia:

Hora de descarregar os carros, organizar as coisas e começar a distribuição. Foram arrecadados:

·         quase 2.300 kg de ração, sendo quase 400kg de ração p/ gato e o restante p/ cães.
·         154 cobertores e edredons.
·         13 casinhas.
·         21 caixas de roupa.
·         09 sacos com roupinhas, caminhas e outros itens para os animais.
·         06 sacos com brinquedos para as crianças.

Observação: Fica a disposição a prestação de contas e notas fiscais, a todas as pessoas que queiram tomar ciência, das despesas e doações recebidas, é só entrar em contato conosco.



Entrega das doações:

A ração é dividida pela quantidade de animais que cada família cuida, e cada família recebeu o suficiente para 30 dias, ou seja, até a próxima distribuição de ração, feita sempre no primeiro sábado de cada mês. Ficamos contente porque foi possível garantir mais dias de boquinhas alimentadas. Antes da campanha era possível garantir ração por apenas 15 dias, as vezes menos.

A maioria dos cobertores foram cortados em 2 ou 4 partes e foram distribuídos de acordo com as necessidades e quantidade de animais por família.

Os cobertores doados para os índios foram entregues as famílias mais necessitadas.

As casinhas foram entregues as famílias que tinham cães de médio e grande porte e que não tinham como abriga-los dentro de casa. O número de casinhas arrecadadas foi bem abaixo do números de animais que precisam de abrigo, mas esperamos conseguir muitas outras até o final da campanha.


Assistência veterinária:

Tivemos a visita de 2 veterinárias que ajudaram alguns animais doentes. Fica nosso agradecimento a Dra. Andreza e a Dra. Estrela.
Deixando claro que, o CCZ tem compromisso de assistência veterinária assumido com líderes da aldeia.


Problemas:

Muitos animais não tem nenhuma chance de sobreviver na aldeia. Os filhotes são sempre os mais frágeis, de gatos principalmente. Eles chegam muito pequenos, há vários gatinhos com 4/5 semanas de vida, gripados, com os olhinhos cheios de secreção, que se não tratados, podem ficar cegos. É triste, o coração fica apertado, mas onde colocar tantos filhotes? Se alguém puder ajudar com lar temporário, qualquer cantinho no banheiro, na lavanderia já é suficiente para abriga-los. Eles não ocupam muito espaço, não fazem muita sujeira e com muito amor eles ficam bons rapidinho. Só pedimos um cantinho para poder trata-los, castrá-los e coloca-los para adoção.


A cadelinha caramelo (abaixo), abandonada na aldeia recentemente, está pele e osso, bastante desidratada e assustada, precisa de resgate e tratamento médico.
A Cocker preta está com rejeição dos pontos de castração, precisando de cirurgia urgente para reparação.

 

Esta outra Cocker, também abandonada, está com infecção nos dois ouvidos, passou por consulta veterinária e está em tratamento.


Esta outra cadelinha esta com tumor e precisa ser operada com urgência.


Filhotes e mais filhotes:

Eles são lindos, engraçadinhos, fazem pose pras fotos, conquistam nossos corações em segundos... mas são vítimas do descaso, da falta de conscientização, educação e punição para os que cometem crime de abandono. Estes são alguns dos muitos que foram abandonados recentemente na aldeia. O último, com chapeuzinho de natal, foi resgatado no dia seguinte a nossa visita, estava com muito vômito, foi medicado mas não resistiu.
Se você tiver um cantinho em casa, nos ajude com lar temporário, só assim poderemos garantir que mais vidinhas serão salvas.


Resultados:

No final da tarde, foi muito gratificante ver os animais se alimentando, usando as roupinhas que ganharam, com carinhas felizes, dentro das casinhas com seus cobertores. Valeu todo o esforço!  A sensação é de dever cumprido, e a volta pra casa é com o coração leve, repleto de alegria. Ainda há muito a ser feito, mas o primeiro passo foi dado.
O amor é o que me motiva e só estando lá é que se pode perceber o quão carente de amor é o ser humano... dar a eles a mesma atenção e carinho é receber em troca a amizade que tantos procuram. E ser humano feliz é sinônimo de animal feliz e bem cuidado.


Adotados do mês:


Agradeço de coração a todas as pessoas que ajudaram, que doaram ração, cobertor ou qualquer outro item, que divulgaram, torceram, mandaram mensagens, enfim, sem vocês nada do que fizemos teria sido possível. Agradeço a Dra. Estrela pela ajuda com a campanha, pelo empenho nas arrecadações, pela disposição e atendimento na aldeia. Obrigada também a Dra. Andreza, sempre muito disposta a ajudar. Obrigada a todos que estiveram lá ajudando na distribuição: Ronaldo, Rodrigo e Guta, Monica, Taty, Sueli, Roseli e, Cida, você é uma mulher de fibra. PARABÈNS!!! Poucas pessoas fazem o que você faz há tanto tempo na aldeia.

Muito obrigada também a SP Escola de Teatro – Centro de Formação das Artes do Palco, que fez uma matéria bem bacana e está ajudando na divulgação da campanha do cobertor: http://spescoladeteatro.org.br/noticias/ver.php?id=2044

E falando em cobertor, a campanha para arrecadação de cobertores, roupinhas, caminhas e casinhas continua, quem puder doar qualquer um destes itens estará ajudando a amenizar o frio dos animais da aldeia. É só entrar em contato comigo (Andréa 11 9134-0353 / asevaroli@gmail.com) ou com a Cida (11 9612-9542 / carv4@terra.com.br).

Lembrando que ração para cães e gatos também é essencial. Não se esqueçam dos gatinhos! Precisamos por mês de aproximadamente 2 toneladas de ração. Qualquer ajuda é bem vinda. Compramos sacos de 15kg (Fabene) de ração para cães por R$ 31,40 (direto com a fábrica) e sacos de 25kg (Unicat) de ração para gatos por R$ 57,00.

Para entrega de doações, segue os endereços dos postos de arrecadação:

1.    Pet Real – Rua Luís Gonzaga de Azevedo Neto, 173 – Vila Tramontano
De segunda a sexta das 08 as 18:00 horas, aos sábados das 09 as 16:00 horas.

2.    Gráfica Delta – Rua Tomas Aquino de Macedo, 54 – Térreo – Santo Amaro
De segunda a sexta das 08 as 17:00 horas.

3.    Laicão – Rua Desembargador do Vale, 986 – Vila Pompéia
De segunda a sábado das 07 as 19:00 horas, Domingo e Feriado das 08 as 13:00 horas.

4.    Com a Cida, no Jaraguá

5.    Comigo, próximo ao Tatuapé, zona leste.

Para doar qualquer valor em dinheiro, a conta dos animais da aldeia é:

BRADESCO: AGÊNCIA 0910-5     CONTA CORRENTE 03094-5     Em nome de: Maria Ap. Carvalho

Um forte abraço a todos,

Andréa Sevaroli
Cida Carvalho