terça-feira, 11 de setembro de 2012

Boletim Agosto


Visita: Sábado dia 01/09

Agosto foi um mês pra lá de complicado, muitas despesas e poucas doações. Bateu um desespero no final do mês porque tínhamos que comprar ração e não tínhamos dinheiro nem para os medicamentos dos cães doentes. Depois que criei o blog algumas pessoas que ajudavam há bastante tempo pararam de ajudar, talvez porque acharam que o projeto cresceu, mas a verdade é que todo mês é a mesma luta para conseguir o valor de um único saco de ração. Postamos fotos dos sacos comprados apenas para mostrar que foram entregues, e não para as pessoas interpretarem que aquela quantidade (grande aparentemente) alimenta os 500 cães (ou mais) da aldeia o mês todo, muito pelo contrário, a quantidade é insuficiente, dura em média 15 dias, isso sem falar dos gatos, que geralmente são esquecidos, e são muitos também.

A aldeia é grande, há inúmeros problemas, e o que eu mais escuto são pessoas dizendo que é dever do poder público, que uma ONG deve intervir... oras, se o poder público fizesse sua parte não teríamos tanta miséria nas cidades, se alguém tem influência para tanto, porque não o faz? Eu já tentei de várias formas conseguir melhorias para a aldeia, a última “pérola” que ouvi foi: “estamos em campanha eleitoral, não temos tempo pra isso agora, quem sabe depois das eleições?”. Complicado...

São poucas as pessoas que fazem algo, que tem atitude, e eu agradeço imensamente a Cris Ramalho pela belíssima iniciativa de fazer uma “vaquinha virtual” entre os seus contatos para ajudar na compra de ração para a aldeia. Foi ela também que uma fez uma rifa e com o valor arrecadado conseguiu comprar mais de 60 cobertores para a aldeia, sem falar das muitas outras iniciativas que ela tem para ajudar outros animais. Ajudar não é só ir até lá fazer o trabalho braçal, há muitas outras maneiras, basta ter iniciativa.

Lógico que há outras pessoas maravilhosas que ajudam todo mês, e somos muito gratas, porque é com essa ajuda que ainda conseguimos matar a fome daqueles animais. Não importa o valor doado, cada pouquinho se faz grande no final do mês, quando compramos a ração. E foi assim que conseguimos levar a ração este mês, juntando os “pouquinhos” que são tão valiosos para os animais. Se não conseguimos melhorar em nada a aldeia, pelo menos a fome foi possível amenizar.

Foram distribuídos:

Para cães: 55 sacos comprados + 13 sacos doados + 10 de saldo, total: 78 sacos 15 kg = 1.170 kg

Para gatos: 06 sacos comprados + 02 sacos doados, total: 08 sacos de 25 kg = 200 kg

As notas fiscais e a prestação de contas estão a disposição de todos, é só entrar em contato comigo
(11 9 9134-0353) ou com a Cida (11 9 9612-9542).



Lembram da cachorrinha cheia de sarna, do boletim de Junho? Dois meses se passaram e ela continua com sarna, está bem melhor, mas na aldeia são poucas as chances de uma recuperação 100%, daí a importância do lar temporário. Estamos torcendo por ela!

 
Alguns cães ganharam um lar, entre eles a mãezinha e dois dos seus filhotes (boletim de Junho), os outros dois ainda aguardam adoção, estão grandes e fortes graças aos cuidados da Cida, que se desdobrou para cuidar deles, perdendo noites de sono, fazendo malabarismos para medicar e arrumar espaço para todos eles.
 
 
Algumas pessoas são "gigantes" que vivem no anonimato e a Cida é uma delas. Dificil encontrar pessoas de fibra, de caráter, com a disposição dessa mulher que há anos não desiste dessa luta. Uma mulher que chora, que sofre, que carrega sacos e sacos de ração nas costas, sozinha, que corre de um lado a outro com cães doentes, atropelados, que cuida, que orienta, que busca forças na sua fé, na vontade de ajudar, ainda que sendo uma gotinha no oceano. PARABÉNS CIDA! Te admiro muito.
 
 
Pessoas assim, que não desistem nunca, mesmo diante das maiores dificuldades, é que devemos ajudar e nos espelhar, e foi por isso que eu abracei a causa da aldeia, mesmo já tendo tantos afazeres não só com a vida pessoal, mas com os gatinhos que eu resgato, porque a Cida merece esta ajuda, porque a aldeia precisa dessa ajuda. E é em nome dela que eu peço a vocês para continuarem ajudando, buscando ajuda com os amigos, familiares, colegas de trabalho, onde for, não importa quanto, porque de pouco em pouco a gente consegue fazer a diferença.
 
As visitas a aldeia para distribuição de ração são feitas sempre no primeiro sábado do mês.
Precisamos de ajuda com o transporte da ração e também com a distribuição, quem estiver disposto a ajudar, peço que entre em contato conosco, mas por favor sem furos ou atrasos, isso prejudica bastante nosso trabalho.
 
Precisamos de toda a ajuda possível para arrecadar a ração, e isso precisa ser mensal, ajudem como puderem, doando o valor de um saco ou qualquer outra quantia, arrecando com amigos e entregando na casa da Cida (Jaraguá) ou na minha (Tatuapé), ou até mesmo na aldeia no dia da distribuição. Outras doações também são bem vindas, como casinhas para os cães e medicamentos. Doações para os indios são aceitas, mas pedimos que entrem em contato antes.
 
As contas da aldeia para quem quiser ajudar financeiramente são:
 
BRADESCO: AGÊNCIA 0910-5 CONTA CORRENTE 03094-5
(Em nome de: Maria Aparecida Carvalho)


ITAU: AGÊNCIA 6906 CONTA CORRENTE 14955-1
(Em nome de: Maria Aparecida Carvalho)
 
É importante nos avisar do depósito e em qual banco foi feito.
 
Para maiores informações:
 
Andréa Sevaroli - Cel.: (11) 9 9134-0353 / E-mail: asevaroli@gmail.com
Cida Carvalho - Cel.: (11) 9 9612-9542 / E-mail:  carv4@terra.com.br
 
Obrigada a todos e tenham uma ótima semana.
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário